I SEMINÁRIO INTERNACIONAL

QUESTÕES DE MORAL

MORAL EM QUESTÃO

SOCIOLOGIA E ANTROPOLOGIA

DO BEM EM TEMPOS DESAFIADORES

8, 9 e 10 de Junho de 2020
IFCS/UFRJ
REALIZAÇAO:
APOIO:
NECVUWeb1.gif
cnpq-logo.png
logo_faperj_cor.jpg

O seminário

O I Seminário Internacional Questões de Moral, Moral em Questão: Sociologia e Antropologia do Bem em Tempos Desafiadores propõe colidir e colocar em diálogo no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), perspectivas preocupadas em “desnaturalizar”, por meio das ferramentas sociológicas e antropológicas, a moral ou o universo das moralidades, enfatizando as perspectivas dos atores sobre suas formas de valoração e de construção de quadros de valores. Com uma programação de três dias, dividida entre duas conferências com convidados internacionais, quatro mesas temáticas de pesquisadores convidados do Brasil e do exterior e três grupos de trabalho de alunos de pós-graduação escolhidos em chamada nacional, o seminário pretende ao mesmo tempo construir um painel das atuais agendas de pesquisa sobre as moralidades em sociologia e antropologia e discutir e apontar novas questões e desafios para essa temática em um ambiente complexo e desafiador como o atual, no qual a polarização ética, os conflitos ideológicos e as radicalizações morais, materializadas em práticas acusatoriais e em discursos de ódio, gerando a impossibilidade de negociação nas relações sociais, criam novas dimensões e desafios para as ciências sociais compreenderem as formas como as pessoas administram suas visões do bem. Estão todos convidados e se juntar a nós nessa nova etapa de uma conversa que esperamos duradoura sobre o bem.

Profs. Alexandre Werneck e Letícia Ferreira, UFRJ

 
 

Programação

8, 9 e 10 de junho de 2020

Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Largo de São Francisco de Paula, 1, Centro

 

Conferências e Mesas: Sala 106

Grupos de Trabalho: Sala Evaristo de Moraes Filho (109)

 

Conferencias

A definir
Dia 08/06, 10h
CONFERÊNCIA DE ABERTURA
Laurent Thévenot
Dia 10/06, 18h
CONFERÊNCIA DE ENCERRAMENTO
​"Críticas e justificações de A justificação"

Professor da École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS) e um dos fundadores do Groupe de Sociologie Politique et Morale (GSPM), Thévenot é autor, juntamente com Luc Boltanski, de A justificação: Sobre as economias da grandeza, obra fundamental da sociologia pragmática da crítica. O livro está sendo lançado no Brasil em 2020 e, em sua conferência, o sociólogo e economista explorará a contribuição da obra, originalmente de 1991, para os estudos sobre moralidades. 

Haverá uma sessão de autógrafos do livro após a conferência.

Fábio Reis Mota
Comentários

Professor do Departamento de Antropologia e do Programa de Pós-Graduação em Antropologia (PPGA) da Universidade Federal Fluminense (UFF) e pesquisador do Instituto Nacional de Administração Institucional de Conflitos (INCT-INEAC/UFF). Desenvolve pesquisas nas áreas de Antropologia jurídica e politica. Entre outros livros e artigos, é autor de Cidadãos em toda parte ou cidadãos à parte? Demandas de direitos e
reconhecimento no Brasil e na França
 (2014), e co-organizador de Sensibilidades jurídicas e sentidos de justiça na contemporaneidade: Interlocução entre antropologia e direito (2013).

 

Mesas

 

Mesa 1:
Moral e Teoria Social:

Luís Roberto Cardoso de Oliveira
UnB

Professor titular livre do Departamento de Antropologia (DAN) da Universidade de Brasília (UnB), assim como do Programa de Pós-Graduação em Direito da mesma universidade, onde atualmente é também diretor do Instituto de Ciências Sociais (ICS). É subcoordenador do Instituto de Estudos Comparados em Administração Institucional de Conflitos (INCT-INEAC), sediado na UFF. Tem experiência de pesquisa no Brasil, nos Estados Unidos, no Canadá/Quebec e na França, com ênfase nos seguintes temas: direitos, cidadania, democracia, políticas de reconhecimento e conflito. Entre outros livros e artigos, é autor de Direito legal e insulto moral: Dilemas da cidadania no Brasil, Quebec e EUA (2002) e Desvendando evidências simbólicas: Compreensão e conteúdo emancipatório da antropologia (2018).

Alexandre Werneck
UFRJ

Professor do Departamento de Sociologia (DS) e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA) do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e coordenador efetivo de pesquisas do Núcleo de Estudos da Cidadania, Conflito e Violência Urbana (Necvu) da UFRJ. Desenvolve pesquisa nas áreas de sociologia da moral e sociologia dos conflitos. É autor de A desculpa: As circunstâncias e a moral das relações sociais (2012) e coorganizador de Pensando bem: estudos de sociologia e antropologia da moral (2014), entre outros livros e artigos, e também tradutor de inglês e francês. Entre suas traduções, está A justificação: Sobre as economias da grandeza, de Luc Boltanski e Laurent Thévenot, a ser publicado no Brasil em 2020.

Patrice Schuch
UFRGS

Professora do Departamento de Antropologia, do Programa de Pós-Graduação em Antropologia e do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Desenvolve pesquisas nas áreas da antropologia do direito, infância e juventude, estado e políticas públicas, direitos humanos e ética em pesquisa antropológica. Entre outros livros e artigos, é autora de Práticas de Justiça: antropologia dos modos de governo da infância e juventude no contexto pós-ECA (2009) e coorganizadora de Direitos e ajuda humanitária: Perspectivas sobre gênero, família e saúde (2010) e Ética e regulamentação na pesquisa antropológica: Experiências, dilemas e desafios do fazer etnográfico contemporâneo (2010). 

Frédéric Vandenberghe
UFRJ

Professor do Departamento de Sociologia (DS) e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA) do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e coordenador do Sociofilo: (Co)Laboratório de Teoria Social (IFCS/UFRJ). Sua produção intelectual privilegia os seguintes temas: realismo crítico, hermenêutica e fenomenologia; globalização; micro-sociologia e teoria da ação; dádiva, intersubjetividade e crise existencial. Entre outros livros e artigos, é autor de Pós-humanismo ou A lógica cultural do neocapitalismo global (2017) e coorganizador de Des sciences sociales à la science sociale: Sur des fondements non utilitaristes (2018).

 

Mesa 2:
O Moral e o Institucional:

Estado e Burocracia:

Lucía Eilbaum
UFF

Professora do Departamento de Antropologia e do Programa de Pós-graduação em Antropologia (PPGA) da Universidade Federal Fluminense (UFF). É pesquisadora do Núcleo Fluminense de Estudos e Pesquisas (Nufep) e do Equipo de Antropologia Política e Jurídica (UBA), e integra o Instituto Nacional de Administração Institucional de Conflitos (INCT-INEAC/UFF). Dedica-se aos seguintes temas: polícia, justiça, produção da verdade, administração de conflitos, moralidades. Entre outros livros e artigos, é autora de O bairro fala: Conflitos, moralidades e justiça no conurbano bonaerense (2012) e Los casos de policía en la Justicia Federal en Buenos Aires: El pez por la boca muere (2008), além de coorganizadora de 'Casos de repercussão': Perspectivas antropológicas sobre rotinas burocráticas e moralidades (2017).

Adriana Vianna
MN/UFRJ

Professora do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS) do Museu Nacional (MN) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Desenvolve pesquisas nas áreas de antropologia do Estado, das moralidades, das relações de gênero, família, violência e emoções. É autora de O mal que se adivinha: Polícia e menoridade no Rio de Janeiro, 1910-1920” (1991), traduzido para o espanhol e publicado na Argentina em 2007, e organizadora da coletânea O fazer e o desfazer dos direitos: Experiências etnográficas sobre política, administração e moralidades (2013), entre outros livros e artigos.

Simone Britto
UFPB

Professora do Departamento de Ciências Sociais e da Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Tem interesse nas áreas de teoria crítica, sociologia da moral, sociologia da educação e ensino de sociologia. Além de diversos artigos e capítulos de livro, é autora de A esperança tardia: Desencantamento da arte e persistência da utopia na teoria crítica contemporânea (2015).

Letícia Ferreira
UFRJ

Professora do Departamento de Antropologia Cultural (DAC) e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA) do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Desenvolve pesquisas nas áreas de antropologia do Estado e antropologia da política, privilegiando os seguintes temas: burocracia e documentos; inscrição política de grupos e problemas sociais; família e moralidade. É autora dos livros Dos autos da cova rasa: A identificação de corpos não-identificados no IML-RJ, 1942-1960 (2009) e Pessoas desaparecidas: Uma etnografia para muitas ausências (2015).

 

Mesa 3:
Problemas Públicos e Sofrimento

Daniel Cefaï
EHESS

Professor da École des Hautes Etudes en Sciences Sociales (EHESS), França. Desenvolve pesquisas etnográficas sobre mobilizações e problemas públicos. Entre outros livros e artigos, é autor de L’Urgence sociale en action: ethnographie du Samusocial de Paris (2011) e Pourquoi se mobilise-t-on ? Théories de l’action collective (2007), e coorganizador de Arenas públicas: Por uma etnografia da vida associativa (2011).

Jussara Freire
UFF

Professora do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal Fluminense (UFF) em Campos dos Goytacazes. É professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional, Ambiente e Políticas Públicas (PPGDAP) e do Programa de Pós-Graduação em Justiça e Segurança (PPGJS), ambos da UFF. Desenvolve pesquisas sobre os seguintes temas: arenas e problemas públicos; movimentos sociais urbanos e mobilizações coletivas; engajamento, espaço público e "violência urbana"; acesso, usos e apropriação de espaços públicos urbanos; experiência urbana e serviços públicos. É autora de Mobilizações coletivas e problemas púbicos em Nova Iguaçu (2016), entre outros livros e artigos.

Gabriel D. Noel
Unsam

Pesquisador do Conicet junto ao Centro de Estudios Socioterritoriales, de Identidades y de Ambiente (CESIA), ao Programa "Migraciones y Transformaciones Sociales en Aglomeraciones Medianas y Pequeñas de la Argentina" e ao Núcleo de Estudios Urbanos (IDAES) da Universidad Nacional de San Martin, Argentina. Desenvolve pesquisas etnográficas sobre moralidades em cidades médias. É autor, entre outros livros e artigos, de “A la sombra de los bárbaros: transformaciones sociales y procesos de delimitación moral en una ciudad de la Costa Atlántica bonaerense (Villa Gesell, 2007-2014)” (2020).

Virginia Vecchioli
UFSM

Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e do Doutorado em Antropologia Social da Universidad Nacional de San Martín (Unsam), Argentina. Desenvolve pesquisas nas áreas de antropologia da política e antropologia do direito. Entre suas publicações mais recentes encontram-se os artigos “Una memoria que transita por las venas: Genética y emoción en los hijos de desaparecidos en la Argentina” (2016), “Una ineludible obligación? El compromiso de las asociaciones de profesionales del derecho con el 'Proceso de Reorganización Nacional'” (2015) e “Human Rights and the Rule of Law in Argentina: Transnational Advocacy Networks and the Transformation of the National Legal Field” (2011). 

 

Mesa 4:
Moral, Violência e Conflito

Michel Misse
UFRJ

Professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA) do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Fundou e dirige o Núcleo de Estudos em Cidadania, Conflito e Violência Urbana (Necvu) da UFRJ desde 1999. Desenvolve pesquisas na área de sociologia da violência, privilegiando os seguintes temas: comportamento desviante, drogas, criminalidade, violência urbana e controle social. Entre outros livros e artigos, é autor de  Crime e violência no Brasil contemporâneo: Estudos de sociologia do crime e da violência Urbana (2006) e coorganizador de Mercados Ilegais, violência e criminalização (2018).

Maria Claudia Coelho
Uerj

Professora Titular do Instituto de Ciências Sociais (ICS) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Desenvolve pesquisas na área de antropologia urbana, atuando principalmente nos seguintes temas: antropologia das emoções, percepções e representações da violência, teorias da dádiva, teorias da modernidade, idolatria e antropologia da comunicação de massa. Entre outros livros e artigos, é autora de O valor das intenções: Dádiva, emoção e identidade (2006) e Estudos sobre Interação: textos escolhidos (2013).

Leonardo Damasceno de Sá
UFC

Professor do Departamento de Ciências Sociais e do Programa de Pós-graduação em Sociologia (PPGS) da Universidade Federal do Ceará (UFC). Desenvolve pesquisas no campo de estudos da violência e dos conflitos sociais, e é membro do Laboratório de Estudos da Violência (LEV) da UFC. Entre outros livros e artigos, é autor de Os filhos do Estado: auto-imagem e disciplina na formação dos oficiais da Polícia Militar do Ceará (2002) e coorganizador de Violência, ilegalismos e lugares morais (2014).

César Pinheiro Teixeira
UFRJ

Pós-doutorando vinculado ao Sociofilo: (Co)Laboratório de Teoria Social  da da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e associado ao Núcleo de Estudos da Cidadania, Conflito e Violência Urbana (Necvu) e ao Coletivo de Estudos sobre Violência e Sociabilidade (CEVIS), do Instituto de Estudos Sociais e Políticos (Iesp), da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Desenvolve pesquisas nas áreas de sociologia da violência e da religião. Entre outros livros e artigos, é autor de A construção social do 'ex-bandido': Um estudo sobre sujeição criminal e pentecostalismo (2011).

 

Grupos de trabalho

I Seminário Internacional Questões de Moral, Moral em Questão: Sociologia e Antropologia do Bem em Tempos Desafiadores

 

 

Chamada de trabalhos

 

 

O I Seminário Internacional Questões de Moral, Moral em Questão: Sociologia e Antropologia do Bem em Tempos Desafiadores conta, em sua programação, com três sessões de Grupo de Trabalho (GT) destinadas a mestres, mestrandos, doutorandos e doutores das diversas áreas das ciências sociais cujas pesquisas possam contribuir para a consolidação das áreas da sociologia e da antropologia da moral. A presente Chamada de Trabalhos é um convite a pesquisadores de pós-graduação de todo o país que se interessem por essas áreas, e estabelece abaixo os principais prazos e procedimentos a serem cumpridos para submissão de resumos e posterior envio dos trabalhos completos a serem apresentados e debatidos no evento.

 

 

Observações iniciais

 

 

Graduandos interessados nessa atividade do seminário são bem-vindos, mas poderão participar das sessões de GT apenas como ouvintes.

 

As submissões dos resumos de trabalho a serem avaliados pela organização do Seminário deverão ser feitas exclusivamente através de sistema eletrônico on-line, disponível no website www.moralemquestao.org.

 

Os trabalhos completos em sua versão de apresentação deverão ser enviados para o endereço eletrônico contato@moralemquestao.org.

 

Os trabalhos selecionados pela organização do evento serão distribuídos nas três sessões de GT previstas na programação de acordo com as principais temáticas discutidas por seus autores, com vistas a que os debates e reflexões coletivas em todas as sessões sejam igualmente densos e produtivos. Cada sessão contará com um coordenador e com um debatedor a serem apontados pela organização do evento de acordo com os principais temas abordados em cada sessão.

 

 

Principais prazos da chamada

 

Chamada de trabalhos

10/02/2020

Submissão de resumos

Até 10/03/2020

Divulgação de trabalhos aceitos e da composição das sessões

Até 24/03/2020

Envio dos trabalhos completos

Até 18/05/2020

 

 

Submissão de resumos

 

Os resumos a serem submetidos no prazo acima estipulado deverão ter no máximo 1.000 caracteres (com espaços). No ato da submissão do resumo, o/a/os/as autor/a/es deverá/ão registrar também o título do trabalho e quatro palavras-chave.

 

 

Formatação dos trabalhos

 

Os trabalhos completos a serem enviados no prazo acima estipulado devem seguir as seguintes orientações de formatação:

 

✓ De 20 a 30 páginas A4, já com a bibliografia

✓ Espaçamento entre linhas de 1,5

✓ Fonte Times New Roman 12pts

✓ Margens: superior = 3.5cm /inferior = 2.5cm / laterais = 3cm

 
Submissão de trabalho
 
NECVUWeb1.gif

UFRJ

Largo São Francisco de Paula, 1, sala 109, parte

Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20051-070

Tel: 21-3852-1754, e-mail: necvu.ifcs.ufrj@gmail.com